sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Por mais crédito

Nesta terça-feira, 4/11, a partir das 10h, em frente à matriz do Banco Real, na Avenida Paulista, 1374, a CUT, a Federação Estadual dos Metalúrgicos e o Sindicato dos Bancários realizam um protesto contra a retenção do crédito por parte dos bancos, que estão aproveitando o clima de temor instalado pela crise internacional para apertar ainda mais a concessão de empréstimos produtivos. A manifestação terá dois lemas principais: "Pela Liberação do Crédito e em Defesa do Emprego" e "Menos Especulação e Mais Produção".

Dois pesos

Enquanto os governos gastam bilhões para salvar os bancos, seriam necessários investimentos de apenas 1% a 2% do PIB mundial para solucionar os problemas de mudanças climáticas. Para acabar com a fome, metade do que foi dado apenas aos bancos ingleses, US$ 30 bilhões. Para lutar contra a aids, somente US$ 10 bilhões por ano.

Custo da crise (2)

Tais perdas equivalem a 5% do PIB mundial. O maior prejuízo ficará com os bancos dos EUA: US$ 1,57 trilhão. Na zona do euro serão 784,6 bilhões.

Custo da crise (1)

Segundo o Banco Central da Inglaterra, desde abril os governos já gastaram mais de 11% do Produto Interno Bruto (PIB) global para salvar os bancos, o equivalente a mais de quatro vezes o tamanho da economia brasileira.

governo adia apresentação de projeto sobre marco regulatório

Durante a semana passada, a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, anunciou, em seminário realizado para empresários, que a proposta de um novo marco regulatório para o setor de petróleo deve ser concluída até o final de novembro. Assim, o governo adia, pela segunda vez, a apresentação da proposta que deverá ser encaminhada para o Congresso Nacional. A última previsão era que o projeto se tornasse público após o segundo turno das eleições, mas as incertezas diante da crise e a vacilação do governo diante de tema tão relevante levaram a novo adiamento.
A ministra voltou a afirmar que uma das idéias em estudo é a capitalização da Petrobrás, trocando as reservas sem concessão por ações da estatal. Dilma lembrou, também, que o conceito central das mudanças no marco regulatório é o de aumentar a participação da União na receita com a exploração do petróleo do pré-sal.
Os entreguistas e os tubarões de sempre aproveitam a crise financeira e a queda do preço do barril do petróleo para pressionar o governo a enviar ao Congresso um “novo marco regulatório” que, na prática, não altere a questão principal, que é a oferta das áreas do pré-sal às empresas multinacionais. Sem o fim dos leilões – tanto da área do pré-sal como das reservas terrestres – não haverá marco regulatório que garanta a soberania da nação sobre o mais importante insumo de energia do planeta.
Não se trata, apenas, de aumentar a participação da União nos lucros e nos royalties, é necessário visão estratégica de nação e de futuro para proteger essa riqueza e garantir a sustentabilidade das gerações futuras.
A FUP, a CUT, os sindicatos e os movimentos populares intensificam sua campanha de coleta de assinaturas para o projeto de lei de iniciativa popular, que garanta o controle social sobre o lucro do petróleo do Brasil, a reestatização da Petrobrás e o investimento em educação, saúde e programas sociais.

Seminário da FUP é adiadoDevido ao agravamento da crise financeira mundial, que tem impactado também a indústria de petróleo em todos os países, vários palestrantes convidados pela FUP cancelaram sua participação no seminário Regulamentação do setor petrolífero brasileiro – Um desafio para os trabalhadores, que estava agendado para ocorrer nesta segunda-feira, dia 3, em São Paulo. Em função disso, a direção da Federação adiou o evento para o dia 24 novembro.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Segundo turno: PT concorre em 15 cidades, PMDB em 13 e PSDB em 9

Nas trinta cidades com mais de 200 mil habitantes que haverá segundo turno no próximo domingo, o PT disputa com chances em 11 e o PMDB disputam em outras 10. PT e PMDB, os dois grandes partidos da base aliada de Lula, disputa entre si em Salvador (resultado completamente indefinido) e Porto Alegre (vantagem para o peemedebista José Fogaça, contra a petista Maria do Rosário). O PSDB tem candidato em 10 municípios, com vantagem nas pesquisas em São Luiz e Cuiabá. Apenas em São Bernardo, terra política do presidente Lula, PT e PSDB se enfrentam no segundo turno, com vantagem para Luiz Marinho, pupilo político do presidente. O DEM, enxotado no Nordeste, tenta sobreviver emplacando o prefeito da maior cidade do país, São Paulo.
A configuração do mapa político após o próximo domingo será decisiva para o planejamento da campanha presidencial de 2010. O PT e o PMDB saem fortalecidos dessas eleições municipais, mas a quase certa derrota em São Paulo vai custar caro para o Partido dos Trabalhadores.

Veja, a seguir, as mais recentes pesquisas dos institutos sobre as disputas do segundo turno por estado.

AMAPÁ
Macapá
Camilo Capiberibe (PSB) – 54%
Roberto Góes (PDT) – 37%
Pesquisa: Ibope

AMAZONAS
Manaus
Amazonino Mendes (PTB) – 59%
Serafim Corrêa (PSB) – 34% (candidato à reeleição)
Pesquisa: Ibope

BAHIA
Salvador
João Henrique Carneiro (PMDB) – 44% (candidato à reeleição)
Walter Pinheiro (PT) – 44%
Pesquisa: Ibope

João Henrique Carneiro (PMDB) – 48% (candidato à reeleição)
Walter Pinheiro (PT) – 41%
Pesquisa: Datafolha

ESPÍRITO SANTO
Vila Velha
Neucimar Fraga (PR) – 47%
Dr. Hércules (PMDB) – 40,3%
Pesquisa: Futura

GOIÁS
Anápolis
Antônio Gomide (PT) – 66,2%
Onaide Santillo (PMDB) – 22,6%
Pesquisa: Instituto Serpes

MARANHÃO
São Luís
João Castelo (PSDB) – 54%
Flávio Dino (PCdoB) – 38%
Pesquisa: Ibope

MATO GROSSO
Cuiabá
Wilson Santos (PSDB) – 58% (candidato à reeleição)
Mauro Mendes (PR) – 34%
Pesquisa: Ibope

MINAS GERAIS
Belo Horizonte
Leonardo Quintão (PMDB) – 47%
Márcio Lacerda (PSB) – 37%
Pesquisa: Datafolha

Leonardo Quintão (PMDB) – 51%
Márcio Lacerda (PSB) – 33%
Pesquisa: Ibope

Contagem
Marília Campos (PT) – 45,11% (candidata à reeleição)
Ademir Lucas (PSDB) – 35,66%
Pesquisa: DataTempo/CP2

Juiz de Fora
Margarida (PT) – 46%
Custódio Mattos (PSDB) – 41%
Pesquisa: Ibope

Montes Claros
Athos Avelino (PPS) – 50,9% (candidato à reeleição)
Luiz Tadeu Leite (PMDB) – 49,1%
Pesquisa: Aprove

Luiz Tadeu Leite (PMDB) – 55%
Athos Avelino (PPS) – 34% (candidato à reeleição)
Pesquisa: Vox Populi

PARÁ
Belém
Duciomar Costa (PTB) – 46% (candidato à reeleição)
José Priante (PMDB) – 43%
Pesquisa: Ibope

PARAÍBA
Campina Grande
Rômulo Gouveia (PSDB) – 47%
Veneziano (PMDB) – 47% (candidato à reeleição)
Pesquisa: Ibope

PARANÁ
Londrina
Antonio Belinati (PP) – 46%
Luiz Carlos Hauly (PSDB) – 44%
Pesquisa: Ibope

Ponta Grossa
Sandro Alex (PPS) – 47%
Pedro Wosgrau (PSDB) – 41% (candidato à reeleição)
Pesquisa: Ibope

RIO DE JANEIRO
Rio de Janeiro
Fernando Gabeira (PV) – 42%
Eduardo Paes (PMDB) – 39%
Pesquisa: Ibope

Fernando Gabeira (PV) – 44%
Eduardo Paes (PMDB) – 42%
Pesquisa: Datafolha


Campos dos Goytacazes
Rosinha Garotinho (PMDB) – 49%
Arnaldo Vianna (PDT) – 36%
Pesquisa: Ibope

Petrópolis
Paulo Mustrangi (PT) – 51%
Ronaldo Medeiros (PSB) – 34%
Pesquisa: Ibope

RIO GRANDE DO SUL
Porto Alegre
José Fogaça (PMDB) – 54% (candidato à reeleição)
Maria do Rosário (PT) – 38%
Pesquisa: Ibope

José Fogaça (PMDB) – 50%
Maria do Rosário (PT) – 37%
Pesquisa: Datafolha

Pelotas
Fetter Jr. (PP) – 50,4% (candidato à reeleição)
Marroni (PT) – 37,6 %
Pesquisa: Fato

Canoas
Jairo Jorge (PT) – 51,6%
Jurandir Maciel (PTB) – 39,3%
Pesquisa: Fato

SANTA CATARINA
Florianópolis
Dário Berger (PMDB) – 50% (candidato à reeleição)
Esperidião Amin (PP) – 33%
Pesquisa: Ibope

Joinville
Carlito Merss (PT) – 62,7%
Darci de Matos (DEM) – 28,2%
Pesquisa: Mapa

SÃO PAULO
São Paulo
Gilberto Kassab (DEM) – 51% (candidato à reeleição)
Marta Suplicy (PT) – 39%
Pesquisa: Ibope

Bauru
Rodrigo Agostinho (PMDB) – 48%
Caio Coube (PSDB) – 40%
Pesquisa: Ibope

Guarulhos
Sebastião Almeida (PT) – 50,4%
Carlos Roberto (PSDB) – 29,1%
Pesquisa: Casa da Pesquisa

Mauá
Oswaldo Dias (PT) – 52%
Chiquinho do Zaira (PSB) – 33%
Pesquisa: Ibope

Santo André
Vanderlei Siraque (PT) – 45%
Dr. Aidan (PTB) – 38%
Pesquisa: Ibope

São Bernardo do Campo
Luiz Marinho (PT) – 51%
Orlando Morando (PSDB) – 34%
Pesquisa: Ibope

São José do Rio Preto
João Paulo Rillo (PT) – 47%
Valdomiro Lopes (PSB) – 39%
Pesquisa: Ibope

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Nota do Conanda sobre o sequestro de Santo André

CONANDA PEDE APURAÇÃO DE RESPONSABILIDADES NA ATUAÇÃO DO
COMANDO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) vem a público manifestar solidariedade à família da adolescente que fora seqüestrada em companhia de sua amiga, outra adolescente de 15 anos, em Santo André (SP) e que, após ser baleada no momento da tentativa de resgate, teve morte cerebral na noite deste sábado, dia 18. O Conselho também repudia a forma como foi conduzida, pelo Comando da Polícia Militar do Estado de São Paulo, a operação do seqüestro das duas adolescentes, em Santo André (SP).
O Conanda solicita a instauração imediata de inquérito para apuração das responsabilidades sobre os disparos que atingiram a ambas, no ato de tentativa de libertação, na noite de sexta-feira, dia 17.
Em que pese o acúmulo de competências da Polícia Militar, chama a atenção que os responsáveis pela operação não tenham reconhecido a complexidade do caso, em que o detentor apresentava claros sinais de distúrbios emocionais, fato este que demandava, portanto, o envolvimento de outros profissionais habilitados para mediar conflitos, minimizando os riscos à integridade física das meninas. Também é evidente a inaceitável ação do Comando, de permitir que uma amiga da adolescente, libertada na terça-feira (14), retornasse ao cativeiro em que a amiga ainda era mantida refém, bem como a malsucedida tentativa de resgate, na sexta-feira, que resultou no alto grau de exposição face aos disparos que atingiram as adolescentes.
Tais episódios evidenciam o grave descumprimento do Comando da Polícia Militar à Lei nº 8.069 de 13 de julho de 1990, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), uma vez que esta instituição tem a função precípua de zelar pelo cumprimento das leis e pela proteção absoluta e prioritária da população infanto juvenil.
Cabe destacar que, de acordo com o ECA:
· Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais (artigo 5º);
· É dever de todos zelar pela dignidade da criança e do adolescente, pondoos
a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou
constrangedor (artigo 18);
· Submeter criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento é passível de pena de 6 meses a dois anos (artigo 232).
Neste sentido, o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente:
· Solicitou ao Conselho Tutelar de Santo André que instaure procedimento para verificar as violações dos direitos dos adolescentes envolvidos no caso, reforçando o papel deste importante órgão de defesa de direitos;
· Apóia a decisão do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CondepeSP), no sentido de demandar à Ouvidoria e à Corregedoria da Polícia Militar do Estado de São Paulo a apuração da conduta dos policiais militares envolvidos na operação;
· Reforça a importância de uma reflexão acerca dos procedimentos adotados para casos de alta complexidade como este, especialmente por envolver vidas de crianças e adolescentes;
· Anseia pelo fortalecimento de ações educativoculturais que promovam a Cultura da Paz.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Campanha de Marta tenta impugnar de Kassab (e a mídia ignora)



A campanha da petista Marta Suplicy entrou na quinta-feira, 16, com representação na Justiça eleitoral para cassar a candidatura do demo Gilberto Kassab. Segundo o setor jurídico da campanha de Marta, o atual prefeito usou a máquina da Prefeitura para fazer sua campanha, em inauguração/comício em que Kassab aparece segurando um "checão" e anunciando investimentos no metrô. O sítio do DEM reproduziu a foto em clima de campanha.
Além da cassação do registro da candidatura, a campanha de Marta pede a punição de Kassab e do presidente do Metrô, José Jorge Fagali, com multa.

Cobertura ideológica
Os principais portais de notícias deram pouco ou nenhum destaque. Diametralmente oposto da atitude que tomaram em relação à peça veiculada por Marta que questiona se o eleitor conhece o Kassab. Quando o DEM entrou com representação contra a propaganda, TODOS os veículos noticiaram em letras garrafais, fizeram suítes durante dias, entrevistaram "especialistas" e os escambau.
No episódio atual, nem o portal Terra nem o Yahoo haviam dado uma linha em suas páginas principais. O Uol publicou uma chamada sem qualquer destaque e o Estadão deu a notícia com destaque, mas no mesmo quadro colocou uma nota do PSDB atacando a campanha Marta.

E ainda tem gente que se ilude com a imprensa deste país.

Nota da CUT-SP sobre o confronto dos policiais civis e militares

A responsabilidade que José Serra não assume

Mais uma vez, o governador de São Paulo, José Serra, como forma de ludibriar a opinião pública, transfere a responsabilidade sobre a greve dos policiais civis para a Central Única dos Trabalhadores.
Apesar de não serem filiadas à CUT-SP, manifestamos integral apoio não somente às associações e sindicatos de policiais civis, em campanha por melhores condições de trabalho, mas ao funcionalismo como um todo, em luta contra a precarização dos serviços públicos que se aprofunda na gestão de Serra.
Defendemos o respeito ao direito constitucional de greve e ao diálogo, que não acontece na administração tucana e atinge ainda trabalhadores de outros setores como a saúde, a educação e até mesmo a Nossa Caixa, tratados como criminosos pelo governo do PSDB.
Lamentamos o confronto da tarde desta quinta-feira, tal qual a ação do governador que usa a segurança pública para evitar a negociação e se manter encastelado no Palácio dos Bandeirantes.
A Central Única dos Trabalhadores de São Paulo lembra também que todas as centrais sindicais estavam representadas na passeata deste dia 16. Certamente, o conflito seria evitado se o governo respeitasse a população paulista a quem serve o funcionalismo público, e respeitasse a data-base dos servidores (1.º março) aprovada em 2006 pela Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.
Chegou a hora do governador José Serra e de seus aliados deixarem de fugir de suas responsabilidades com discursos que atribuem um caráter eleitoreiro a todas as manifestações no Estado.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

A sensibilidade de Kassab





Esse vídeo é antigo, circula na internet há algum tempo, mas em época de eleição é sempre bom lembrar o comentário do atual prefeito de São Paulo -- que propaga ser um homem sensível aos problemas da população -- quando visitava a cratera aberta pela nas obras do metrô da estação de Pinheiros, que casusou a morte de 7 pessoas.

Em tempo: uma das empresas que lidera o consórcio responsável pela obra é a Odebretch, que foi expulsa recentemente do Equador por construir uma usina que não gera energia. Aqui construíram um buraco e ficou tudo na santa paz tucana.

Confira o vídeo

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

TRT de São Paulo faz proposta de conciliação para retomada das negociações

Em audiência de conciliação promovida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo, a partir da instauração de dissídio coletivo de greve por parte do Ministério Público do Trabalho (MPT) em face do Sindicato de São Paulo, da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul e da Fenaban, o desembargador Nelson Nazar, vice-presidente judicial do TRT da 2ª Região, apresentou nesta terça-feira 14 a seguinte proposta de conciliação: * Retomada das negociações da campanha salarial entre o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban nesta quinta-feira de manhã, dia 16. * Suspensão da liminar que havia sido concedida ao Ministério Público estipulando multa diária de R$ 200 mil em caso de a greve paralisar mais de 30% dos serviços das agências localizadas na base do Sindicato de São Paulo e da Feeb SP/MS. * Reunião do Comando Nacional dos Bancários em 48 horas para avaliar a proposta de conciliação. * Possibilidade de suspensão da greve, por decisão das assembléias, a partir da sexta-feira. * Manutenção do estado de greve e retomada da paralisação (caso as assembléias acatem a sugestão de conciliação), se em cinco dias úteis não houver acordo entre as partes. "É importante ressaltar que a proposta de conciliação, que só foi apresentada por causa da força da nossa greve, tem como público o sindicato de São Paulo e os sindicatos paulistas da base da Feeb SP/MS. É lamentável que no século 21 conflitos trabalhistas ainda tenham a interferência e como palco de discussão a justiça do trabalho. O que houve de positivo foi a retomada das negociações com os bancos, que é um dos objetivos da nossa greve. Isso demonstra a importância da continuidade da paralisação em todo o país para que a Fenaban apresente na negociação de quinta-feira uma proposta que contemple as reivindicações da categoria", diz Vagner Freitas, presidente da Contraf/CUT e coordenador do Comando Nacional.
Fonte: Contraf/CUT

terça-feira, 14 de outubro de 2008

pensamentos vagos

Em crises do capitalismo, ricos ficam milionários ... pobres, miseráveis.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

CUT é recebida por Evo Morales


Na noite do dia 9, a delegação da CUT que está na Bolívia foi recebida no Palácio Quemado, sede do governo em La Paz, pelo vice-ministro para Movimentos Sociais, Sacha Llorenti e, em seguida, pelo presidente Evo Morales.
Morales agradeceu a demonstração de solidariedade da CUT: "Como sindicalista que fui, não vou jamais trair o povo pobre da Bolívia e as expectativas que nossos irmãos de outros países, como o Brasil, tem no nosso processo revolucionário e na luta contra o império". O diretor do Unificado e membro da executiva da CUT, Antonio Carlos Spis informou que a Central e a CMS (Coordenação dos Movimentos Sociais) discutirão o envio de representantes do Brasil à Marcha de 13 de outubro dos movimentos sociais bolivianos, que vai exigir do Congresso a convocação do Referendo para aprovar a nova Constituição. Ao final da audiência Evo tirou uma foto junto com os cutistas, com a camiseta da campanha da FUP "O Petróleo é do Brasil".

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Atos dia 10 marcam a jornada pelo trabalho decente

Na próxima sexta-feira (10), a CUT e outras centrais sindicas saem às ruas na Jornada Mundial pelo Trabalho Decente. A atividade convocada pela Confederação Sindical Internacional (CSI) e pela Confederação Sindical dos Trabalhadores da Américas (CSA) trabalhará com atos nas principais capitais do país - em São Paulo a atividade será na Praça Ramos. O tema se refere a um princípio fundamental da Organização Internacional do Trabalho (OIT) que tem como base a liberdade, igualdade, segurança e dignidade para todos trabalhadores e trabalhadoras.
Mau exemplo que vem da Índia
Recebi esse pps mostrando as condições de trabalho em uma fábrica de calçados na Índia, a Catwalk. Antes de gritarem contra as péssimas condições de lá, lembrem-se que no Brasil a realidade não é muito diferente, basta "visitar" um dos buracos no bairro do B rás (em São Paulo) em que imigrantes, muitos ilegais, trabalham para a indústrias de confecção, como a C&A.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

A vocação peemedebista do PSDB



Há 20 anos quando uma turma de “autênticos” saiu do PMDB bradando por ética e por um partido com princípios parecia para alguns que o cenário político brasileiro finalmente teria um representante da social democracia ao estilo europeu. Configurar-se-ia, assim, o tripé da democracia representativa burguesa, com um partido de bases de esquerda (PT), a social-democracia do PSDB e um partido que aglutinaria os setores mais conservadores da sociedade, hoje representado pela sigla DEM. Entre um e outro espectro, agrupamentos à esquerda mais radicalizados e sem base social (que o velho Lenin considerava a doença infantil do comunismo) e uma chuva de asteróides de fisiológicos espalhados por siglas que mais ninguém lembra o que se referem, como o próprio PMDB, o PTB, PDT, PPS e por ai vai. O PV, outro partido de inspiração européia, só herdou de seu primo europeu o nome, no Brasil exerce com competência sua missão de ser um balcão de negócios – caminho que o PCdoB aprende e aperfeiçoa rapidamente.
A história recente do país, no entanto, mostra que todos os cenários descritos nos velhos manuais de sociologia e ciência política podem continuar pegando pó nos armários, pois pouco refletem a trajetória desses partidos. O PT se configura como um competente partido social democrata, enquanto o PSDB se esfarela em disputas internas e não apresenta nenhum projeto consistente ao país, a não ser a repetição da surrada fórmula do neoliberalismo do consenso de Washington, que já deveria estar sepultada a sete palmos e é a gênese da atual crise do capitalismo.
O caso das eleições de São Paulo é típico sobre os caminhos que o PSDB trilha. Os principais caciques tucanos são oriundos do Estado. Desde 1994, os candidatos à presidência são da base paulista: FHC duas vezes, Serra e Alckmin. E justamente onde os emplumados têm seus grandes nomes, uma disputa entre Serra e o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, levou o PSDB a lançar um candidato e fazer campanha para outro, o atual prefeito Gilberto Kassab.
À primeira vista, a passagem de Kassab para o segundo turno parece representar uma vitória para o projeto “Serra presidente”, mas significa, a médio prazo, mais uma pá de terra na cova do partido sonhado por Covas. Num momento em que o DEM perde força no Nordeste, seu tradicional reduto, e o casamento com os tucanos dá mostras de esgotamento em vários campos, o esquema Serra revigora o neoconservadorismo mesmo que o custo seja deixar seu próprio partido em frangalhos irrecuperáveis. Este é o bom companheiro que quer ser presidente da República.

Herança janista
Alçado quase ao acaso prefeito da maior cidade do país, Kassab manipulou com competência o sentimento conservador e autoritário de parte da sociedade paulistana; a mesma que ideologicamente aplaudia os ataques histriônicos de Jânio Quadros. Utilizando de apelos circenses como fechamento de casas noturnas, Kassab angariou simpatia de certa parcela da população. Alie-se a esse fato bom momento em que vive a economia do país, que reforça a tendência para que a população mantenha no governo quem já está – fenômeno que aconteceu em todas as capitais – e a eficiente propaganda de mídia promovida pela coligação do DEM, que dispunha do maior tempo de TV, e se configura um cenário quase inimaginável anos atrás: o PSDB se torna apêndice do DEM no principal reduto tucano.

Vitoriosos e nem tantos
Independentemente de vencer ou perder no segundo turno, Kassab se apresenta como nova liderança no campo conservador. O PSDB, no entanto, perde em qualquer cenário. A vitória de Kassab tende a aprofundar o racha tucano e Serra sabe que ainda não pode prescindir da máquina de seu partido na sucessão presidencial. Cada vez mais, o atual governador assemelha seus métodos ao de Orestes Quércia, que loteou o PMDB de acordo com suas conveniências políticas, mas pagou o preço de se tornar um partido inchado, sem referência programática e que serve apenas de suporte para outros. O sonho acalentado por Quércia, de ser presidente, acabou no momento em que fez a opção de desconfigurar o PMDB. Serra segue o mesmo caminho com seu PSDB.
Por irônico que pareça, o melhor caminho para o PSDB sobreviver como partido que polariza projetos para o país é justamente os eleitores de Alckmin votarem em Marta e montarem uma competente oposição. É um caminho difícil, mas menos suicida.

Só para constar
Em São Paulo disputam dois projetos; no Rio a população nem tem essa opção. Ninguém merece ter que escolher entre Eduardo Paes e Gabeira, o eterno e o neo reacionário.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Brasil é o 4º credor dos EUA e exposição ao dólar preocupa.

Essa notinha saiu no newsletter do Bradesco
O Brasil alcançou o 4º lugar dos credores individuais dos EUA, com US$ 148,4 bilhões em títulos do Tesouro americano, ficando atrás somente do Japão, China e Grã-Bretanha. Com a crise dos EUA junto à perspectiva de um grande aumento na dívida do país, a concentração das reservas brasileiras nestes títulos preocupa. A Rússia e a Índia estão reduzindo a exposição ao dólar, diversificando bastante as reservas. O ex-representante-assistente de comércio dos EUA, Jon Huenemann, afirma que não vê ninguém preocupado com um calote dos EUA, mas o Brasil poderá começar a diversificar as reservas caso a crise se agrave e a economia americana entre em recessão.

Conar responde

Prezado Norian, Respeitamos sua opinião a respeito da ética e propaganda mas discordamos frontalmente dela. Bastaria que o Sr. visitasse o site do CONAR www.conar.org.br para rever a sua posição. Aliás, visitando o mesmo site e navegando pelo Código de Auto-regulamentação, poderá ver também que o merchandising (ou produtct placement) é perfeitamente legítimo (art. 29,§ único) e a emissora que o sr. se refere como "plim plim", por exemplo, nos créditos de cada capítulo da novela explicita se houve ou não ação mercadológica naquela programação. Quanto aos carros de som, estamos de pleno acordo com o sr. Trata-se de modalidade tosca de chamar a atenção da vizinhança e diversos municípios já a regulamentaram.
Edney G. Narchi
Diretor Executivo

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

O Conar e a pamonha de Piracicaba


O Conar, como se sabe, é uma ONG mantida por empresas de propaganda que visa fiscalizar a “ética” na propaganda (apesar de ética e propaganda serem, por princípio, termos opostos). Mas vai lá.
Algumas coisas da propaganda, no entanto, parecem passar despercebidas pelo Conar e pelos legisladores do Congresso que atuam nessa área. Quando uma peça publicitária, travestida de notícia, é veiculada em uma mídia impressa, obrigatoriamente ela precisa vir com a informação no alto da página de tratar-se de informe publicitário. Justo. Isso vale para a mídia impressa, mas não para a eletrônica. Durante uma novela, de qualquer emissora, principalmente da plim-plim, somos bombardeados com atores-personagens fazendo propaganda de banco (que para eles nunca têm fila), de loja de móveis, de SPA, de concessionária de automóveis, de revendedora de motos, de pacotes turísticos e o escambau, pagou, tem “artista” contente a se meter a ficar falando e falando bem do produto ou banco. Em que lugar da telinha aparece que aquilo que estão fazendo não é parte da “trama” da novela e sim propaganda? E aí, Conar?
Como quase nunca assisto novela, essa é uma implicância genérica, porque não chega a me afetar individualmente – apesar de me ofender como cidadão. O que me enche realmente o saco são os carros de som que passeiam pela cidade anunciando aos berros de tudo um tanto.
Um dos princípios da publicidade é oferecer ao consumidor a possibilidade de ele se negar a ver, ler ou ouvir a peça proposta. Posso pular uma página de revista ou jornal, mudar de canal ou de estação de rádio, mas a não ser que eu carregue comigo um eficiente fone de ouvido, não posso deixar de ouvir um carro com alto-falante chiado, música geralmente insuportável e anunciando a última grande oferta, o imperdível show, o melhor candidato ou as deliciosas pamonhas de Piracicaba. Por que, Conar e legisladores, sou obrigado a ouvir que devo comprar algo que não quero nem ouvir sequer adquirir?
Tiraram os outdoors da cidade, é hora de tirar os carros de som de propaganda das ruas.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Novas regras ortográficas entram em vigor em 2009

No dia em que se completou 100 anos da morte do maior escritor brasileiro, 29 de setembro, Machado de Assis, aconteceu na Academia Brasileira de Letras a solenidade de assinatura do novo acordo ortográfico entre a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). As novas regras entram em vigor em 1º de janeiro de 2009 e têm prazo de conclusão até 2013. Nesse período, para todos os efeitos (vestibular, por exemplo), serão aceitas as duas formas de grafia.
Entre as mudanças está o fim do trema, e diversas alterações na forma de acentuar as palavras. Os oito países que compõem o CPLP (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugual e São Tomé e Príncipe) e representam quase 250 milhões de pessoas aderiram ao acordo.
Clique aqui para baixar o arquivo com todas as mudanças http://rapidshare.com/files/150090627/AcordoOrtogrLinguaPortug.pdf.html