tome nota

DESTAQUES
ELEIÇÃO SEM LULA É FRAUDE

sociedadepoliticaecultura
ultimas noticias
23/03/2018

00.31
este campo foi
editado por
SPC.

Pesquisar neste blog

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

PROPAGANDA DO SERRA TEM RAZÃO... O POVO DANÇA

(ESTAÇÃO SÉ DO METRÔ, DIA 3/2/2010 - imagem enviada pelo Marcos Perioto, não sei de quem é o crédito)

Quem não é de São Paulo talvez não tenha assistido (ou talvez sim, a Sabesp, companhia se saneamento de SP faz propaganda no Acre para alavancar a candidatura do Serra) à propaganda do Serra para dizer que transporte coletivo na cidade de São Paulo está "cada vez melhor". Na propaganda "informativa-eleitoral" um grupo de pessoas sai dos trens e começa a dançar na plataforma, felizes feito jacu que comeu melado.


Para todos esses chatos que só sabem criticar, aqui está a prova de que Serra tem razão. Veja a foto da estação Sé do Metrô, tirada dia 3 de fevereiro de 2010.

O POVO DANÇA COM O TRANSPORTE PÚBLICO.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

AS OPOSIÇÕES LANÇARAM DILMA


Como era de se esperar, passada a quarta-feira de cinzas, o PT homologou a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, como candidata do partido à sucessão de Lula. Parte politicamente significativa do PT se encontra com cargos no governo ou a eles anexados de alguma forma ou na área de influência de algum parlamentar e não iriam contrariar o chefe Lula. em outra ponta, o lulismo é muito forte dentro do partido e boa parte da massa de militantes e filiados do PT agem como orienta o presidente da República.

Alguns petistas, no entanto, se indignaram com a forma como ocorreu a indicação, sem debate interno, sem prévias, sem a salutar disputa que sempre moveu o PT. Têm razão, mas sob a ótica da disputa política, quem "impôs" Dilma foi a oposição; ou melhor, as oposições.

Dilma tem um passado de luta contra a ditadura militar, de presa política, situação que lhe dá status e também servirá de arma para a turma do Serra. A experiência de ser oposição ao regime, ser presa, torturada, moldou seu caráter guerreiro e suas melhores qualidades.

A outra oposição, movida por tucanos, demos e outros bichos, travou intensa guerra contra o governo e naturais presidenciáveis, como Zé Dirceu, Palocci, Genoíno e outros, sucumbiram nesta batalha. Em um cenário diverso, com certeza outro cacique seria o candidato de Lula e do PT.

Dilma ainda tem muito que apresentar à sociedade e à militância para se credenciar como sucessora do maior líder político desta geração.


Em tempo: deus nos acuda ter michel temer como vice.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

KASSENGUE

Depois de ver a matéria que postei ontem aqui, o Bira apareceu com esta ótima charge. Garoto bom este Bira. Valeu!


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

São Paulo submersa na incompetência

Verão, altas temperaturas, chuvas, sujeira nas ruas e bocas de lobo mal conservadas são ingredientes certos para a proliferação do mosquito da dengue, doença que parecia sob controle há alguns anos, mas que volta a crescer na cidade mais rica do país.
E o que faz uma administração competente? Sabendo que nos primeiros meses do ano aumenta a incidência de chuvas, toma providências antecipadamente, certo? E o que fez o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassengue?
Em junho de 2009 terminou o contrato com uma empresa que fornecia para a Prefeitura de São Paulo 500 kombis que eram usadas por agentes de zoonoses fiscalizarem as casas em busca de focos do mosquito. Não foi feito novo contrato o que obrigou os agentes a fazerem o trabalho a pé. “Muita casa fica com larvas não detectadas. A cidade está praticamente indefesa diante da dengue”, alertou na época, uma agente ao jornal Folha de S.Paulo.
Em 19 de janeiro de 2010, a Secretaria Municipal de Saúde divulgou relatório apontando que 29 distritos da cidade estavam em estado de alerta por causa do risco de infecção de dengue. Os distritos em estado de alerta são: Anhanguera, Brasilândia, Casa Verde, Freguesia do Ó, Jaçanã, Mandaqui, Santana, São Domingos, Tremembé, Vila Maria, Vila Medeiros (zona norte); Artur Alvim, Carrão, Cidade Líder, Ermelino Matarazzo, Itaquera, Lajeado, São Miguel, Vila Jacuí (zona leste); Campo Grande, Campo Limpo, Capão Redondo, Cidade Ademar, Socorro (zona sul); Alto de Pinheiros, Butantã, Itaim Bibi, Morumbi (zona oeste); Bela Vista (centro). Em todo o Estado de São Paulo o número de casos quadruplicou, de 323 em janeiro de 2009, para 1.383 em janeiro deste ano.
Chuva, calor, indicadores de aumento nos casos de dengue entre 2008 e 2009, e qual é a atitude que o competente Kassengue tomou? Demitiu 439 agentes de zoonose. Segundo a Prefeitura, esses servidores estavam havia nove anos trabalhando de maneira “temporária” e como o contrato terminou não houve demissão. O Aedes aegypti deve ter adorado a notícia.
São Paulo está submersa não apenas pelas águas, mas principalmente pela incompetência de sua administração.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Arruda já foi, falta Yeda

A Polícia Federal prendeu na noite de quinta-feira (11), o governador do Distrito Federal, José Roberto "Arrouba" (que se desligou recentemente do DEM após as denúncias). Arruda foi preso por conta da operação Caixa de Pandora, que levantou uma série esquemas de corrupção desse político que já havia sido flagrado quebrando o sigilo do painel do Senado, junto com o então senador ACM.
O Supremo Tribunal de Justiça determinou a prisão do governador por tentativa de suborno para que testemunhas o inocentassem das acusações. Além de "Arrouba" o STJ solicitou a prisão do ex-deputado Geraldo Naves (DEM); Weligton Moraes, ex-secretário de Comunicação; Rodrigo Arantes, sobrinho do governador; Haroaldo Brasil de Carvalho, diretor da Companhia Energética de Brasília; e Antonio Bento da Silva, conselheiro do Metrô.
Uma semana antes, a Polícia Federal havia prendido Bento da Silva no momento em que entregava R$ 200 mil para o jornalista Edson Sombra. O dinheiro era parte de um pacote de suborno de R$ 1 milhão.
Independentemente de quanto tempo fique atrás das grades, é exemplar o caso de um governador ter prisão decretada por corrupção. Quem assumiu no lugar de Arruda é Paulo Octávio (DEM), político ainda mais corrupto que seu chefe e que já sofre processo de impeachment impetrado pelo Ministério Público.
No Rio Grande do Sul a governadora tucana Yeda Crusius ainda bate as plumas para tentar se livrar dos processos e denúncias de corrupção, que teve esquemas tão pesados quando os de Brasília e culminou com um dos denunciantes boiando às margens do rio Guaíba.
O PSDB de Minas Gerais inventou o mensalão, que logo se espalhou para outras praças. DEM e tucanos estão atolados até o pescoço com denúncias e mais denúncias de corrupção por onde passam e governam.
Arruda caiu, Paulo Octávio não deve aguentar muito. Falta o Ministério Público, o STJ e a Polícia Federal virarem os olhos para o Sul, e darem o mesmo destino à governadora Yeda.

MST denuncia criminalização de movimentos sociais

As lutas sociais e, notadamente, a luta pela Reforma Agrária voltam a ser fortemente criminalizadas. Em destaque outra vez uma investida pesada contra o MST. Neste momento, dezenas de Sem Terra estão presos em várias cidades do país, e outros tantos foram condenados a penas altíssimas pelo simples fato de buscarem terra para sobreviver e produzir.
O estado de São Paulo é um dos lugares onde a situação é mais grave e escandalosa. No dia 25 de janeiro, a polícia iniciou um cerco aos assentamentos e acampamentos da reforma agrária na região de Iaras, interior do Estado, portando mandados de “busca, apreensão e prisão”, com o intuito de intimidar, reprimir e prender militantes do MST. Nove militantes assentados e acampados foram detidos e levados para a delegacia de Bauru – de onde foram espalhados em diferentes prisões da região, para dificultar o seu contato e sua assistência. Dentre eles encontravam-se o ex-prefeito de Iaras, Edilson Granjeiro Xavier, e a atual vereadora pela cidade, Rosimeire Pan D'Arco de Almeida Serpa, ambos do PT.
No dia 10/2, a mobilização contundente das forças sociais contra o processo de criminalização dos Sem Terra na região de Iaras culminou na suspensão da prisão dos militantes. O Desembargador Luiz Pantaleão, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, acolheu o pedido de habeas corpus feito pela defesa dos Sem Terra. Da sentença, porém, ainda cabe recurso e o mérito ainda será julgado. Apesar de soltos, os Sem Terra continuarão como réus no processo que investiga ação realizada na área grilada pela empresa Cutrale. O processo está na fase de inquérito e outras 55 pessoas ainda podem ser indiciadas.
Além disso, outros processos antigos contra militantes do MST, em diversas regiões do estado – como Campinas, Ribeirão Preto, Pontal e o Vale do Paraíba -, têm sido ressuscitados numa incrível “coincidência”. Apenas no Vale do Paraíba há mais 11 militantes condenados, sendo que dois cumprem penas de mais de 6 anos de reclusão.
Além de prenderem militantes de Iaras, os policiais cercaram casas e barracos, amedrontando as famílias e apreenderam pertences pessoais, com o objetivo de forjar provas contra os agricultores, induzindo que os objetos teriam sido roubados durante a ocupação de outubro de 2009 às terras griladas pela Cutrale.
É preciso que se formem Núcleos de Denúncia da Criminalização e de Solidariedade entre os Trabalhadores e Trabalhadoras em cada região. E, assim, deveremos fazer em relação a cada setor, a cada movimento ou a cada pessoa de nossa classe social que esteja sendo vítima de violências e abusos semelhantes.
(Leia a íntegra da nota do MST no sítio www.mst.org.br).

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

CARNAVAL


Bloco EURECA sai às ruas para mostrar outra visão sobre a infância

Criado há 18 anos pelo Movimento Meninos e Meninas de Rua, o bloco de carnaval EURECA, que significa Eu reconheço o Estatuto da Criança e do Adolescente, sai às ruas para dar seu grito de carnaval no município de São Bernardo do Campo. Desde 2006, com o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, a rede de serviços de São Vicente participa também desta ação e multiplicou o movimento, organizando a versão Eureca Litoral, coordenado pelo Camará. Este ano, o objetivo é ampliar e fortalecer a mobilização na Baixada Santista.A cada ano, o Eureca aborda uma temática relacionada ao Estatuto da Criança e do Adolescente - Lei Federal 8069/90, sendo a primeira delas uma comemoração pela conquista do ECA. Em 2010 o tema é “Os 20 anos do ECA e o protagonismo infantil”, e o bloco sai às ruas no dia 16 de fevereiro. Em São Vicente, O bloco tem como parceiros, além do Conselho Municipal dos direitos da Criança e do Adolescente, o Sindicato dos Servidores Públicos de São Vicente, a Secretarias municipais de Saúde e Cultura, Casa Crescer e Brilhar, o Lar de Assistência ao Menor (LAM) de São Vicente, os CAMPs São Vicente, Humaitá e Rio Branco, a Ordem dos Advogados do Brasil de São Vicente.

O tema
De acordo com Michelle Lima, adolescente que participa ativamente do bloco no litoral desde suas edições anteriores, o tema esse ano é bem interessante pelo fato de ser voltado para as crianças. “É bem radical, porque estamos enfatizando bastante as crianças e o percurso delas na sociedade hoje”, observa. E é justamente desse percurso que o bloco vai tratar nas ruas. João Carlos Guilhermino da Franca, coordenador do Camará, aponta para a atenção que deve se dar à história do Estatudo da Criança e do Adolescente, promulgado em 1990. De acordo com João, é uma história que estimula a participação política das crianças. Ele destaca que a “própria lei só surgiu porque houve a participação delas no processo, e pouca gente sabe disso.”, enfatiza. Para ele, o papel da lei é exigir os direitos reconhecidos pelas próprias crianças, que participaram e protagonizaram o processo da assembléia constituinte. “Houve uma limpeza nas ruas, ou seja, a retirada das crianças moradoras das ruas, o que foi muito negativo. Depois disso houve luta histórica, e as crianças foram convocadas a levar a visão das ruas para a política.”, explica. Por isso, no bloco pretende-se mostrar um outro modo de enxergar as crianças, ou seja, enquanto protagonistas e não meras espectadoras das ações dos adultos. Pretende-se mostrar também a importância do sistema de garantia de direitos, que o ECA propõe que de fato exista. Para João Carlos ele é “um conjunto de atores sociais muito conscientes da importância de sua existência, que para funcionar não pode contar com ações fragmentadas. A saúde e a assistência social têm que andar juntas, por exemplo.”. Além disso, “a gente quer ter como visão a construção de cidades educadoras. Como seriam as escolas em uma cidade educadora? a cultura, a relação entre adultos, crianças e idosos?”, finaliza.

Processo de formação do Bloco
Trata-se de um bloco que sai no carnaval de maneira engajada e por isso mesmo seu processo de construção exige muito trabalho e muitos encontros de formação para que nas ruas, os participantes e as participantes dêem efetivamente seu recado à sociedade. Assim, desde o começo de janeiro educadores, crianças e adolescentes tem se reunido para pensar tanto no desfile como no que significa o tema proposto para 2010. Dentro das atividades, além de reuniões, todos e todas assistiram a filmes em Cines-Roda (uma espécie de cine debate), participaram de atividades formadoras e convidaram às entidades e as pessoas para o fortalecimento do processo de mobilização social. Na semana de 08 a 11 de fevereiro, ocorrerão, na sede do Camará e na Casa da Vila, as atividades do barracão, que consistem na confecção das alegorias e na organização do bloco para saída às ruas pelas crianças e pelos adolescentes. È no barracão que a linguagem carnavalesca dá vida e inventividade ao engajamento do bloco. A sede do Camará fica na Rua Caminho dos Barreiros, 491- no bairro Beira Mar, e A Casa da Vila fica na rua Lovely Plauchut, 787, no bairro da Vila Margarida, em São Vicente. As atividades ocorrerão no período da tarde, e estão abertas a quem quiser participar.

O desfile
O desfile é dividido em alas, e assim foi concebido coletivamente pelos seus atores: Comissão de Frente – O ECA, Segunda ala – A Conquista, Terceira ala – A Cidade Educadora, Quarta ala – O Sistema de Garantia dos direitos. O Bloco vai às ruas no dia 16 de fevereiro. O desfile começa a partir das 16h, saindo do Píer, na Avenida Antônio Rodrigues (Praia do Gonzaguinha), até a Biquinha, onde ocorre a apoteose.
Para mais informações sobre o EURECA, e visualização de seu samba enredo, é só entrar no blog www.eurecalitoral.blogspot.com.
Fonte: Boletim Vagalume, do projeto Camará

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

PEDÁGIO MAIS CARO DO PAÍS

O motorista que atravessar a costa brasileira do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte paga menos pedágio do que cruzar o Estado de São Paulo em direção ao triangulo mineiro.
Na viagem pela BR-101, partindo do Rio Grande do Sul, o motorista desembolsa R$ 34,30 para um trajeto próximo de 4.500 km. Para atravessar São Paulo, o desembolso é de R$ 41,70 até Ribeirão Preto, num percurso de 313 quilômetros. Isto é, valores 30% maiores para distância 30 vezes menor.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Isso você não lê na Veja nem vê na Globo: ANVISA APREENDE 1 MILHÃO DE QUILOS DE AGROTÓXICOS NA SYNGENTA. E A EMPRESA RECEBE PRÊMIO DA MÍDIA

Syngenta é homenageada pela Época uma semana antes de ter 1 milhão de quilos de agrotóxico adulterado apreendido pela Anvisa




Durante o 10º Fórum Social Mundial, ocorrido em Porto Alegre, de 24 a 29 de janeiro, o MST realizou um ato na Assembleia Legislativa em repúdio à criminalização dos movimentos sociais. O mote concreto desta vez foi a prisão de nove pessoas em Iaras (interior de São Paulo) acusadas de participar da ocupação da fazenda da Cutrale – aquela que a Globo não cansou de mostrar um trator passando por cima de pés de laranja.
No evento, que lotou o plenarinho da Alers, o líder sem terra João Pedro Stédile comentou sobre a apreensão feita pela Anvisa (Agência de Vilância Sanitária) e Polícia Federal na fábrica da Syngenta, em Paulínia (SP), dois meses antes: em 21 de outubro de 2009, a agência governamental, motivada pela denúncia de um funcionário da Syngena, apreendeu 150 mil litros do agrotóxico Priori Xtra adulterado.
A maior produtora de agrotóxicos do mundo já havia sido autuada no início desse mesmo outubro, quando a Anvisa interditou cerca de 1 milhão de quilos de agrotóxicos com irregularidades e adulterações . “Após três dias nas instalações da maior empresa em vendas de agrotóxicos no Brasil e no mundo no ano de 2008, a equipe da Anvisa encontrou várias irregularidades na importação, produção e comércio de produtos agrotóxicos. A ação contou com apoio da Polícia Federal. Do total de produtos interditados, 600 mil kg correspondiam a agrotóxicos e componentes com datas de fabricação e de validade adulteradas. A empresa também foi autuada por destruição total das etiquetas de identificação de lote, data de fabricação e de validade do agrotóxico Flumetralin Técnico Syngenta, igualmente interditado. Vários lotes do mesmo produto também foram interditados por apresentarem certificado de controle de impurezas sem assinatura, data da sua realização ou com data de realização anterior à produção do lote analisado. O controle de impurezas toxicologicamente relevante no Flumetralin Técnico é obrigatório uma vez que tais impurezas são reconhecidamente carcinogênicas e capazes de provocar desregulação hormonal”, diz a nota emitida pela Agência Sanitária (http://www.anvisa.gov.br/DIVULGA/noticias/2009/051009.htm).

Omissão e desvario
Caro leitor, leitora: seiscentos mil quilos de um produto cancerígeno e que provoca desregulação hormonal são apreendidos pela Polícia Federal e a maior revista do país e a maior rede de televisão do país não publicam uma linha? É, no mínimo, para coçar os piolhos da cabeça e imaginar que tem algo errado, muito errado com a mídia.
Resolvi fazer uma breve pesquisa e entrei no sítio da Veja, a pior revista do Brasil. Na barra de busca pesquisei a palavra “Syngenta” (que Stédile se refere como nojenta, rima boa). Surgiram 55 referências, a maioria assinada pelo escroto Reinaldo Azevedo, aquele pseudo jornalista que chama Chê Guevara de “porco fedorento”. E o que diziam, em resumo, os posts desta besta: defendiam a fábrica da Syngenta do Paraná, cujas milícias participaram do assassinato do militante sem terra Valmir Mota de Oliveira, o Keno, em 21 de outubro de 2007. Nada mais natural para um representante da direita carcomida como Azevedo.
Próxima pesquisa: a palavra “MST”. Surgiram nas páginas de Veja 32.064 citações e 24 capas – não precisei perder o tempo lendo para saber que em nenhuma matéria se encontraria jornalismo e sim pregação ideológica a favor do latifúndio.


Prêmio para quem mata
A multinacional suíça contrata capangas armados, adultera milhões de litros de agrotóxico, que irão ser utilizados nas plantações de frutas e legumes que você e seus filhos consumirão (e anos depois em algum velório alguém vai comentar “nem fumava e morreu de câncer”), nenhum diretor da empresa é preso ou processado, e qual é a atitude da mídia comercial? Dar um prêmio a esta empresa, claro!
Foi exatamente isso que as Organizações Globo, por meio da revista Época fez no dia 28/09/2009, uma semana antes da enorme apreensão de agrotóxicos. A Syngenta foi homenageada pelo Prêmio Época de Mudanças Climáticas 2009. Lindo, né? E, com certeza, a empresa sabe recompensar seus diletos amigos da mídia.