quarta-feira, 6 de maio de 2009

Agência da CUT incentiva inclusão social e cooperativismo



Algumas pessoas imaginam que a CUT atua apenas para trabalhadores com carteira assinada, que suas atividades se voltam tão somente para os "peões" da cidade e do campo. De fato, a Central Única dos Trabalhadores atua como a grande entidade agregadora das bandeiras e reivindicações do movimento sindical, mas seu campo de atuação é muito maior.
Uma dessas instâncias ainda pouco conhecidas é a Agência de Desenvolvimento Solidário – ADS (fundada pela CUT, pelo Dieese, Unitrabalho e FASE entre outras entidades), cujo objetivo é promover a inclusão social, cidadania e promoção de trabalho e renda por meio do cooperativismo e empreendimentos coletivos em todo o país. Em 2009 a ADS completa 10 anos de existência com ricas experiências no campo da autogestão, por meio da organização econômica, social e política dos trabalhadores inseridos no processo de desenvolvimento sustentável e solidário.
Atualmente, estima-se que haja mais de 20 mil empreendimentos solidários, que empregam mais de 1,5 milhão de pessoas e movimentam mais de R$ 30 bilhões por ano. "Em 2008 encomendamos duas pesquisas, uma para o Dieese e outra para uma empresa privada, para saber o potencial dos empreendimentos solidários e como o mercado vê esse segmento", explica Ari Aloraldo, coordenador da ADS.
A pesquisa foi realizada entre 185 cooperativas e empreendimentos – 170 que atuam com a ADS e 15 indicadas pela Petrobrás, parceira na pesquisa. Os resultados de ambas pesquisas serão sintetizados em uma publicação que pretende dar mais visibilidade aos empreendimentos e ser um instrumental para que um maior número de empresas se interesse pelos produtos da economia solidária. "Como parte dessa estratégia, a ADS prepara ainda para este ano uma grande feira com exposição de produtos dessas cooperativas e empreendimentos, que deve ocorrer no Centro de Convenções Imigrantes", afirma Antonio Carlos Spis, diretor do Unificado e coordenador administrativo da ADS.

O que são cooperativas de trabalhadores

Cooperativas são empresas constituídas por trabalhadores (produtores ou consumidores) em prol dos diversos interesses econômicos e sociais dos trabalhadores. Nisto são diferentes das empresas capitalistas, que são constituídas com a finalidade de gerar lucro, ou seja, de concentrar capital.
Cooperativas são empreendimentos econômicos sem fins lucrativos, que visam a satisfação das necessidades econômicas dos trabalhadores, produtores ou consumidores, que são seus cooperados.
Todos os tipos de cooperativas, ao contrário das empresas capitalistas, distribuem seus resultados econômicos em função do capital investido pelos cooperados na cooperativa. Assim, tal como na cooperativa de trabalho, em que ganha mais quem trabalha mais, na cooperativa de consumo, recebe mais (os excedentes da cooperativa) quem comprou mais nela. Também é assim na cooperativa de comercialização, quem vende mais pela cooperativa tem mais direito aos excedentes dela. Isto é radicalmente diferente das empresas capitalistas.
Há diversos tipos de intercooperação: nas finanças, na produção, no desenvolvimento tecnológico, nas vendas ou compras etc., o importante é notar que é justamente a intercooperação que torna economicamente viáveis as pequenas cooperativas, muitas vezes as mais democráticas.
Pela formação de grandes redes de pequenas cooperativas - e associações - muitos empreendimentos solidários vêem conseguindo manter seus trabalhadores, ampliar o números destes e se fortalecer economicamente.
Postar um comentário