quinta-feira, 5 de maio de 2016

De que adianta afastar agora o delinquente Cunha?

Afastamento de Cunha beneficia Temer

Em um despacho de 73 páginas, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki afastou o réu Eduardo Cunha da presidência da Câmara dos Deputados. O ministro se referiu a Cunha como "delinquente" - o que, aliás, não expressa na plenitude o que representa Cunha.

Ele continua deputado e com foro privilegiado.

Waldir Maranhão, aliado de Cunha: só alegria
Em seu lugar assume Waldir Maranhão, do PP, partido que está mais sujo que Pau de Puleiro... Maranhão é aliado de Cunha, o que, na prática, significa que EC ainda manterá grande parcela de poder nos corredores da Câmara.

Afastar Cunha após o espetáculo circense da votação do impeachment é uma decisão que vem atrasada e pouco contribui para a normalidade política do país. É claro que muitos estão festejando nas ruas, entre eles, com certeza, o "vice sinistro" Michel Temer. Cunha sempre foi um aliado incômodo, pelo grau de ojeriza que causa na sociedade e pela sanha de poder que demonstra ser cada vez maior. Ter como sombra uma figura nada confiável como Cunha não é confortável para o golpista Temer, que terá de rebolar na cadeira presidencial, caso o PT e os partidos aliados assumam com radicalidade a oposição política contra o golpe.

Ironicamente, atendendo ao clamor popular, O STF ajudou mais uma vez ao golpe.
Postar um comentário