terça-feira, 19 de outubro de 2010

SERRA É DO MAL


A propaganda demo-tucana do segundo turno centra sua estratégia em três frentes: 1) desconstrução da figura de sua oponente Dilma Roussef, utilizando de todos os expedientes lícitos e imorais (esses em muito maior número) possíveis; 2) aposta na despolitização ao jogar para a opinião pública que o que está em jogo é o perfil administrativo dos candidatos, como se fosse o caso de apresentar currículo para um emprego e não um projeto para o país; e 3) criou um slogan “simpático” e de fácil assimilação, o tal “Serra é do bem”. Será que é isso mesmo?
Não vou colocar neste post todos as mazelas, denúncias de corrupção e mau uso do dinheiro público que envolvem a trajetória política de Serra, se tentasse, terminaria esse texto depois do finados, de tanto assunto que existe. Mas bastam alguns exemplos:


SERRA É MENTIROSO
Em sua campanha, o candidato demo-tucano diz que vai “fortalecer” as empresas públicas. Toda sua vida política e de seu partido desmente essa afirmação. Em um país mais republicano, a camarilha que vendeu a Vale a preço de banana madura estaria atrás das grades; a privatização do sistema de telefonia foi a festa da corrupção. O resultado da entrega para a iniciativa privada da telefonia sem qualquer controle é que a população brasileira paga a segunda maior tarifa de celular do mundo, conforme estudo da consultoria europeia Bernstein Research. Leia.


A Petrobrás só não foi pro mesmo limbo porque a sociedade se mobilizou e segurou o boi neoliberal pela unha. Até o nome da empresa tentaram mudar para Petrobrax (segundo declarações de altos tucanos na época, o “brás” do nome remetia a Brasil e soava como subdesenvolvimento para o mercado externo). Leia a opinião do presidente da Petrobrás, Sérgio Gabrielli, sobre o período FHC na empresa.

SERRA É MAU ADMINISTRADOR
Primeiro, é fujão. Não terminou praticamente nenhum mandato que começou, de deputado a governador (chegou a assinar em cartório compromisso de que não largaria a Prefeitura de São Paulo antes do término da gestão, mas a filosofia dos tucanos é “esqueçam o que escrevi”).
Na propaganda, o candidato diz que governa para os pobres, mas veja a comparação dos gastos com publicidade e com combate às enchentes no Estado São Paulo.
Informações coletadas no Sistema de Gerenciamento da Execução Orçamentária do Estado de São Paulo/ SIGEO:
2007
Combate às enchentes: R$ 68 milhões
Gastos com publicidade: R$ 88,3 milhões
2008
Combate às enchentes: R$ 107,4 milhões
Gastos com publicidade: R$ 178,7 milhões
2009 (dados até março)
Combate às enchentes: R$ 12,8 milhões
Gastos com publicidade: R$ 18,8 milhões
Isso ajuda a explicar, em parte, porque os tucanos foram reeleitos em São Paulo e a população mais carente continua perdendo tudo (inclusive a vida) a cada mau humor de São Pedro.

Polícia de São Paulo não tem nem acesso à internet
Matéria de Josmar Josino publicada no Jornal da Tarde dia 3 de maio de 2010 (leia) informa que para se conectar à internet policiais civis de São Paulo precisam fazer uma “vaquinha” e pagar a conexão do próprio bolso. “Enquanto o crime organizado tem nas prisões telefone celular de última geração, os computadores da Polícia Civil de São Paulo ainda não são ligados à internet. Para realizar pesquisas e acessar dados de outros Estados, policiais são obrigados a levar equipamentos de casa e fazer ‘gambiarra’ no serviço”, afirma o texto.

Corrupção, marca registrada do governo tucano
Enquanto mais de 100 (CEM!!) CPIs (Comissão Parlamentar de Inquérito) dormem nas gavetas da Assembleia Legislativa de São Paulo (a maioria dos deputados, governistas, impede sua instalação), os escândalos e desvios de verbas na prefeitura e no estado governados pela coligação demo-tucana chegam a cifras de bilhões de reais.
Alguns (poucos) exemplos:


CORRUPÇÃO NA MERENDA ESCOLAR
“Uma testemunha entregou planilhas com os valores de propinas supostamente pagas pelas empresas Verdurama e SP Alimentação para cerca de 30 prefeituras do País. Ouvida em sigilo pelos promotores que investigam o caso da máfia da merenda escolar, a pessoa trabalhou em uma das empresas e disse que tinha conhecimento dos pagamentos para prefeitos, secretários e funcionários. Só a prefeitura de Carapicuíba entre os meses de abril e dezembro de 2007, por exemplo, teria recebido R$ 363.041,55 de propina. A cidade na época era governada por Fuad Chucre (PSDB)”, afirma matéria de Bruno Tavares e Marcelo Godoy (http://blogdofavre.ig.com.br/tag/merenda-escolar/).

CORRUPÇÃO NO DETRAN
“Quatro ex-diretores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e um ex secretário adjunto da Segurança Pública são acusados de provocar, entre 1994 e 2006, um rombo que pode chegar a R$ 2 bilhões. A causa são supostas ilegalidades em contratos de emplacamento de carros – durante esse período, a taxa prevista em lei para lacrar veículos em São Paulo deixou de ser cobrada das empresas pelo Estado.
A acusação contra 15 empresários, delegados e o ex-secretário – além de seis empresas – consta de ação civil pública apresentada à 14.ª Vara da Fazenda Pública pelo promotor Roberto Antônio de Almeida Costa, da Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social de São Paulo” (texto de Marcelo Godoy no jornal O Estado de São Paulo, disponível também no blog do Favre).


CORRUPÇÃO NA COMPRA DE REMÉDIOS
“Prefeitura de São Paulo pagou até 994% a mais por remédios e produtos hospitalares entre 2003 e o ano passado. O esquema, que teria a participação de servidores, beneficiou ao menos três empresas, que atuariam numa espécie de cartel para fraudar licitações." (texto do jornal Folha de S.Paulo)

CORRUPÇÃO NO ROUBOANEL
O tucano Delson Amador, ex-diretor da Cesp (Centrais Elétricas de São Paulo) e, posteriormente presidente da Dersa é um dos muitos envolvidos nas acusações de desvio de verbas das obras do rodoanel. Confira matéria no blog do Nassif.

Da Dersa também vem as denúncias sobre os desvios praticados por Paulo Petro, assessor que Serra negou e voltou atrás quando PP ameaçou abrir a boca. Esse sujeito está envolvido em outras armações.

Veja nota do Correio Braziliense:

PRESO EM JOALHEIRA DE SÃO PAULO » Entre os rolos nos quais o PT acusa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, assessor de confiança do PSDB, de estar envolvido, um chama a atenção. Em junho deste ano, ele foi preso ao pedir a avaliação de um bracelete de brilhantes em uma loja da joalheria Gucci em São Paulo. A peça era roubada e o estabelecimento acionou a polícia. Agora, Paulo Preto responde a processo por receptação de material ilícito. Em sua defesa, ele alega ter sido vítima de uma “armação”.

SERRA CONTRA OS TRABALHADORES
Para terminar, que o leitor deve estar cansado e de estômago embrulhado, veja como Serra votou como deputado constituinte
a) votou contra a redução da jornada de trabalho para 40 horas;
b) votou contra as garantias ao trabalhador de estabilidade no emprego;
c) votou contra a implantação de Comissão de Fábrica nas indústrias;
d) votou contra o monopólio nacional da distribuição do petróleo;
e) votou contra o direito de greve;
f) votou contra o abono de férias de 1/3 do salário;
g) votou contra o aviso prévio proporcional;
h) votou contra a estabilidade do dirigente sindical;
i) votou contra a garantia de 30 dias de aviso prévio;
j) votou contra a garantia do salário mínimo real.

(Fonte: DIAP - "Quem foi quem na Constituinte" pag. 621).


Se você recebeu um desses muitos emails caluniosos que circulam pela internet, muitos deles postados por integrantes e simpatizantes da extrema direita neonazista, reenvie esta matéria. Contra boatos, informações.

Postar um comentário