sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

FSM realiza balanço de 10 anos e aponta desafios e propostas

Em janeiro de 2001, centenas de organizações populares de todo o mundo faziam em Porto Alegre o contraponto ao Fórum Econômico Mundial, meca do neoliberalismo. Sob o slogan "outro mundo é possível", milhares de militantes sociais e sindicais trocavam experiências e apontavam a necessidade de ações práticas para deter o avanço da concepção individualista e predadora de quem vê o lucro com amo e senhor supremo.
Agora, em 2010, o Fórum realiza o balanço de uma década, tendo como pano de fundo o colapso do neoliberalismo, a crise mundial e a ascensão da esquerda nos governos da América Latina e em importantes países europeus.
A partir de 2007, quando o Fórum Social foi realizado em Nairobi (Quênia), a organização do evento decidiu realizá-lo a cada dois anos de maneira centralizada, e anualmente em diversos países. Em 2009, o FSM aconteceu em Belém (PA) e este ano a programação é descentralizada; no Brasil ocorre no Rio Grande do Sul (nas cidades de Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Sapiranga) e em Salvador (BA)
Um dos mais importantes temas que estará na pauta é a crise energética mundial e as perspectivas do Brasil após a descoberta do pré-sal, temas que estarei cobrindo e que pretendo postar neste espaço.
Além dos paineis de mesas de debate geral, centenas de oficinas e manifestações estarão ocorrendo simultaneamente, como o Acampamento Internacional da Juventude e a Feira de Economia Solidária.
Para saber mais sobre a programação e acompanhar os debates, acesse a página do Fórum (www.forumsocialmundial.org.br).
Postar um comentário