quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Chuva, suor e democracia


A caminhada de abertura do oitavo Fórum Social Mundial não poderia ser mais típica da proposta do evento. A tradicional chuva da tarde que refresca Belém por volta das 16h, aguardou a apresentação de Gracias a la vida, música de Violeta Parra, entoada por três cantoras latinoamericanas, para desabar sobre as cabeças dos milhares de participantes, que, cientes de que a história é um carro alegre – e às vezes encharcado – enfrentaram com música, dança, palavras de ordem e muita alegria e disposição os cerca de 7 quilômetros, percorridos em pouco mais de 3 horas, a maioria do tempo sob forte chuva.
As tribos indígenas deram o tom do que será uma dos mais importantes debates deste Fórum: a questão da preservação da Amazônia. Lado a lado com os “parentes” indígenas, caminhavam pelas ruas de Belém militantes das mais variadas entidades e propostas. Eram sindicalistas, ambientalistas, movimento de mulheres, cristãos, vegetarianos, militantes contra usinas nucleares, contra a agressão israelense à Palestina, pelo direito ao aborto; segurando uma mesma faixa, os presidentes da CUT (Artur Henrique), Força Sindical (Paulinho) e UGT (Ricardo Patah) exigiam em uníssono melhores condições de trabalho. A FUP encabeçava a bancada dos petroleiros com um enorme balão pela campanha do pré-sal.
No palco instalado ao final do trajeto da caminhada, pajés abençoavam o Fórum Social Mundial, que oficialmente teria início no dia seguinte, mas que desde o começo da semana já acontecia de fato, em diversos debates e eventos.
A FUP montou um estande no Fórum (na Universidade Federal do Pará) para coletar assinaturas para a campanha do pré-sal e divulgar a luta dos petroleiros.
Na quarta-feira, 28, o principal tema é Pan-Amazônia: 500 anos de resistência, conquistas e perspectivas afro-indígena e popular. Este dia é dedicado a levar ao mundo as vozes da Amazônia e se constituirá de diversas atividades, como testemunhos, conferências, além de celebrações e mostras culturais.
Confira a programação desta quarta-feira:PALCO 1 - DESENVOLVIMENTO, MUDANÇAS CLIMÁTICAS, JUSTIÇA 9:00 -Fala de abertura 9:20 – Apresentação Cultural dos povos originários. Apresentação: Pará – Mestres do Carimbó. 10:00 - Tema: Mudanças ClimáticasSub-tema: Destruição da Floresta Apresentação: Cláudia Ticuna- Amazonas Diálogo: Grupo hindu (MEENA, CACIM -JAI SEM)Sub-tema: Degêlo nos Andes e Sêca na Amazônia Apresentação: Marambiré-Alenquer – Diálogo: Confederación de Pueblos de la Nacionalidad Kichwa del Ecuador, ECUARUNARI – Ecuador 11:00 - Tema: Modelos EnergéticosSub-tema: A Luta contra as Barragens na Floresta Apresentação: Dança Assurini, de Tucuruí- pa APRESENTAÇÃO CULTURAL – ESF – Rio Madeira.Diálogo: Mix de Grupos AMB Sub-tema: Impactos das Grandes mineradoras e petroleiras Apresentação: Justiça nos Trilhos -Diálogo: Confederacion Nacional de Comunidades del Peru Afectadas por la Mineria, CONACAMI-Peru + Convergencia Maya WAKIB KEJ, Guatemala 12:00 - Tema: Soberania e Segurança Alimentar Sub-tema: Crítica aos Agrocombustíveis na Pan Amazônia Diálogo: Mércia Andrews, África do Sul; Diamantino UNAC/Via Campesina, de Moçambique Sub-tema: Crítica aos Agronegócios Apresentação: Boi de Mestre AlaricoDiálogo: ONPIA, Organizacion Nacional de Pueblos Indigenas de Argentina Encerramento: Carnavalito – PALCO 2: TRABALHO, DHESCAS, FIM DA VIOLÊNCIA E DA CRIMINALIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS Local: UFPA 8:30 – Cerimônia do levantamento do mastro Responsável: CEDENPA9:20 – Apresentação Cultural dos povos originários Apresentação: Pueblo Quechua y Aymara – Bolívia/Peru. 10:00 - Tema: TrabalhoSub-tema: Trabalho Escravo Apresentação: Grupo Samba do Cacete BaiãoDiálogo: Performance sobre Trabalho Escravo na Cana - PASTORAL DO MIGRANTE SÃO PAULO Sub-tema: Desemprego e Migrações Humanas Apresentação: Tambor de Crioula Cachoeira do PiriaDiálogo: Tambores Japoneses 11:00 - tema: Fim da Violência Sub-tema: Luta pela Terra e contra a Violência no Campo e na Cidade Apresentação: Teatro do Oprimido da turma de letras do MSTDiálogo: Atitude Maria Marta/Argentina - Mujeres de negro, luta pacifica do Uruguai – actoras del cambio Sub-tema: Desmilitarização na Sociedade Apresentação: Organizacion Nacional Indígena de Colombia, ONICDiálogo : Campanha internacional contra as tropas brasileiras no Haiti – Campanha Jubileu Sul (Ruth) 12:00 - tema: Criminalização dos Movimentos SociaisSub-tema: Perseguição do Estado aos Movimentos Sociais. e lideranças na Pan Amazônia. Apresentação: Brigada de Agitação e Propaganda da Via CampesinaDiálogo: Alianza Feminista Centro-americana pela Descriminalização do Aborto - PUEBLO MAPUCHE, Chile Sub-tema: Campanhas de Perseguição da Mídia Apresentação – AFAIA/CEDENPA-X-DN-ERÊ/BIGU Diálogo – Grupo Palestino (Intervozes)Sub-tema – criminalização da comunicação popular Apresentação – Fórum das Rádios ComunitáriasDiálogo – Grupo do México – AMARC Encerramento: Carnavalito PALCO 3 - TERRA E TERRITÓRIO, IDENTIDADE SOBERANIA NACIONAL E SOBERANIA POPULAR, INTEGRAÇAO REGIONAL Local: UFRA 8:30 – Cerimônia de Levantamento do Mastro 9:20 – Apresentação Cultural dos povos originários Apresentação: Dança Povo Xicrin (água) 10:00 – Tema: Identidade Sub-tema- Reafirmação da cultura dos povos originários Apresentação do ESF de Roraima: WAPIXANAApresentação –Wai-Wai de OriximináDiálogo – WESTERN SHOSHONI, Estados UnidosSub-tema- Afirmação da Identidade Quilombola/afro- descendente Apresentação – Grupo Afroritmos do Amapá - Marujada de QUATIPURÚDiálogo- Bushiningueens-aluku, da Guiana Francesa 11:00 - tema – Soberania Nacional e Soberania Popular Sub-tema- Autonomia e Estado Plurinacional Apresentação – Coodinadora Andina de Organizaciones Indigenas, CAOIDiálogo – FAROUK – CURDISTAO/Povos Sem Estado Sub-tema- contra a intervenção imperialista Apresentação- Central Sindical Unica de Trabajadores Campesinos de Bolivia, CSUTCBDiálogo- grupo cubano Sub-tema: Integração regional Apresentação – ESF da Selva Central - Dança Sagrada dos Indígenas (Confederação dos Indígenas Kaxinawa do Acre)Organizacion Indigena Chiquitana, OICH (Bolivia) – (Roberto Diálogo – REBRIP -Secretário do Fórum social Africano Encerramento: Carnavalito a partir de uma celebração da utopia da pátria grande e da integração dos povos. Responsável: Celebração das expressões culturais, políticas e lutas dos diferentes grupos.
Postar um comentário