sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Petroleiros marcam greve a partir de 26 de novembro


No dia 25, a Federação Única dos Petroleiros (FUP-CUT) cobrou da Petrobrás a retomada das negociações da campanha reivindicatória, enfatizando a rejeição maciça da categoria à contraproposta apresentada pela empresa dias atrás. A empresa concordou em agendar nova reunião, mas não marcou data ainda. Seja qual for a intenção da empresa, os trabalhadores irão manter o estado de greve e pressionar por seus direitos.
Reunidos nos dias 30 e 31, a FUP e os sindicatos cutistas discutiram a construção e qualificação de uma greve nacional com controle de produção ainda em novembro e a realização de um grande ato político no dia 13, no Rio de Janeiro, para cobrar da empresa o cumprimento da implementação dos acordos do Plano Petros – o fundo de pensão da categoria.
Nesta campanha os petroleiros cobram avanços em questões de saúde e segurança no trabalho, benefícios e condições de trabalho. Nas reivindicações econômicas a categoria reivindica a reposição da inflação do período, de 4,18%, e aumento real de 5%. A Petrobrás ofereceu apenas a reposição das perdas inflacionárias.
Conforme apurou este blog, os petroleiros estão realmente dispostos a levar em frente uma greve com controle da produção.
Postar um comentário