quinta-feira, 11 de maio de 2017

EM DISCURSO EM CURITIBA, LULA ATACA MÍDIA GOLPISTA E LANÇA CANDIDATURA



Fotos e texto: Norian Segatto


Olhos marejados. Esta era uma cena comum entre as cerca de 50 mil pessoas ao final do ato em Curitiba (10.maio.2017) que acompanhou o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sérgio Moro. 

No depoimento, que durou quatro horas, Lula afirmou sentir orgulho da Petrobrás, de ter colocado a empresa entre as maiores do mundo após a descoberta do pré-sal, e atacou a mídia pelo "massacre" que tenta fazer com sua reputação e sua herança política. "Apenas no Jornal Nacional nos últimos 12 meses foram 18 horas de matérias contra o Lula. isso dá 12 partidas entre o Barcelona e o Real Madri", afirmou o ex-presidente, sempre se dirigindo a si próprio em terceira pessoa. 

Doze horas de ato
Desde as primeiras horas da manhã da quarta-feira, pessoas já começavam a ocupar a praça Santos Andrade, no centro de Curitiba, em frente ao imponente prédio da Universidade Federal do Paraná, onde o juiz Sérgio Moro leciona. Enquanto técnicos testavam o som que seria utilizado por todo o dia, os manifestantes que chegavam entoavam seus cantos de guerra, "fora Temer", "olê, olê, olá, Lula" "Lula, guerreiro do povo brasileiro". O ato prosseguiu até às 22 horas.
Durante todo o dia, parlamentares, lideranças sindicais, estudantis, de movimentos sociais e artistas se revezavam no palco da praça para prestar sua solidariedade a Lula, cujo "encontro" com Moro estava previsto para às 14h. No lado de fora do local do depoimento, outras centenas de manifestantes se postavam para aguardar o ex-presidente, que, ao chegar, foi saudado com entusiasmo e presenteado com uma bandeira brasileira.


Boneco Lula
 







Acampamento do MST
Alojamento sob lona
A poucos quilômetros dali, um acampamento organizado pelo MST reunia alguns milhares de militantes do movimento, vindo de diversas partes do país. A manutenção do acampamento foi uma guerra à parte. Dias antes do ato, a juíza Diele Denardim Zydek, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, atendeu pedido do prefeito Rafael Greca (PMN) e proibiu a instalação do acampamento. Após intensas negociações, os manifestantes puderam ocupar uma área privada ao lado dos trilhos de trem. 
Devido ao intenso frio previsto para a capital paranaense, movimentos sociais da cidade se organizaram para recolher roupas e cobertores para os acampados. Um restaurante foi improvisado no local para atender aos milhares de acampados.      
Apesar da infraestrutura precária, o local abrigou diversos debates e atividades.

Barracas ficaram ao lado dos trilhos d



Lula se emociona ao falar com os manifestantes e lança candidatura a presidente
Ao final da noite, após as quatro horas de depoimento ao juiz Sérgio Moro, Lula compareceu à praça onde o ato já durava mais de 12 horas. Ao lado dele estavam João Pedro Stédile, líder do MST, e a presidente afastada, Dilma Rousseff, que saudou a multidão, denunciou, mais uma vez, o golpe dado em seu governo e disse estar pronta para retornar a qualquer momento. 

Nos poucos mais de 10 minutos que utilizou para falar aos presentes na praça, Lula agradeceu a solidariedade dos manifestantes. "Eu jamais pude imaginar que um ônibus pudesse sair do Acre, da Bahia, do Rio Grande do Norte e de quase todos os estados do Brasil para vir num ato de solidariedade a Lula. Eu, sinceramente, não tenho palavras para agradecer", disse o ex-presidente, que comentou alguns dos momentos do depoimento que havia acabado de prestar, se emocionou ao afirmar que jamais poderia mentir para a população e que queria ser julgado pelo povo brasileiro. Ao final de sua falação, voltou a afirmar que quer ser candidato nas próximas eleições. "Eu estou vivo, e estou me preparando para voltar a ser candidato a presidente deste país. Eu nunca tive tanta vontade como eu tenho agora; vontade de fazer mais, vontade de fazer melhor e provar mais uma vez que se a elite não tem competência para consertar este país, o metalúrgico de quarto ano primário vai provar que é possível.

Confira, abaixo, a íntegra da fala do Lula. O áudio e o vídeo estão com oscilações, foram gravados no meio da multidão, mas serve como um importante registro histórico.







Outros depoimentos podem ser conferidos na minha página do facebook, deixo os links aqui.       
Índio, da Intersindical

Vagner Freitas, presidente da CUT

Senador Lindbergh Farias (PT-RJ)

Rosane Bertotti, secretária de Formação da CUT nacional
Postar um comentário