segunda-feira, 9 de maio de 2016

Atos dia 10 devem prosseguir. Renan mantém votação do impeachment para dia 11



A notícia da manhã desta segunda (9.mai.2016) sobre a decisão do atual presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), de cancelar a sessão que votou o processo de impeachment, ocorrida dia 17 de abril, foi saudada por muitos como uma vitória dos movimentos contra o golpe.

Mas não há, a princípio, muito o que comemorar. A decisão cria uma fissura a mais no processo e escancara as ilegalidades que cercaram a votação, mas, além do impacto político, não dá para os movimentos sociais cantarem vitória. A luta ainda será árdua.

Com essa compreensão, a Frente Brasil Popular deve manter as mobilizações desta terça-feira e, embalada pela boa notícia, conclamar para que a população e os militantes sociais e sindicais se engajem ainda mais nos atos que irão ocorrer.

Diversas categorias, como petroleiros, bancários e metalúrgicos já confirmaram que irão manter suas atividades e conversar com a população sobre as implicações dessa semana decisiva para o futuro do país.

Renan mantém rito

Na tarde da segunda, 9, o presidente do Senado, Renan Calheiros, informou que a casa manterá o rito de votação do impeachment previsto para quarta-feira, dia 11.

Esse imbroglio terá novos desdobramentos nesta terça, com a possível entrada do STF na história (e sabemos como pensam aquelas iluminadas cabeças).



Postar um comentário