quarta-feira, 13 de outubro de 2010

ESSE ERA O PROJETO DE SERRA/FHC PARA A PETROBRÁS

E agora ele diz que nunca pensou em privatizar a empresa!
No final do ano 2000, FHC tentou mais uma tacada para privatizar a Petrobrás: anunciou a mudança do nome da empresa para Petrobrax (Na época, Henri Reichstul, presidente da Petrobrás nomeado por FHC disse que o "brás" do nome era associado com subdesenvolvimento, porque lembrava o Brasil). A marca, desenvolvida por uma "empresa especializada" por R$ 50 milhões, durou menos de uma semana; a população rejeitou perder a empresa que seus pais e avós haviam lutado para constituir nos anos 1950. Agora, em período eleitoral, Serra vem dizer que nunca tentaram privatizar a Petrobrás. Conta outra, Pinóchio!

Até tucano sabe disso!
O texto a seguir foi publicado na página do deputado estadual do PSDB Donald Fernandes (AC):
"De fato, o governo FHC tentou privatizar a Petrobras. Em 1977, Joel Rennó, que era presidente da Petrobras, contratou uma consultoria para orientar a empresa sobre como privatizar. Esta consultoria orientou para transformar a empresa numa holding e não privatizar a empresa como um todo, mas dividi-la em unidades independentes, chamadas de “Unidades de Negócios -UN-, que poderiam ser privatizadas. O processo de privatização iniciou. A FRONAPE (Frota Nacional de Petroleiros) foi uma das primeiras a serem preparadas. Neste caso, o processo não chegou a ser concluído. Hoje, ela existe com um CNPJ paralelo, com a denominação de TRANSPETRO. A refinaria de Porto Alegre, Alberto Pasqualini (REFAP), foi negociada com a REPSOL argentina/espanhola. Observando o organograma da Petrobras é possível verificar que o que anteriormente eram “superintendências”, hoje, são “Unidades de Negócios”, passíveis de venda, tais como UN – REDUC (RJ), UN –REPLAN (SP), UN –REGAP (MJ), UN – REVAP (SP), UN– AM (AM), UN– RNCE (RN), UN –BA (BA), UN-BC (Bacia de Campos.RJ), UN-RIO (Macaé-RJ) e UN-BS (Bacia de Santos-SP). Para que as privatizações das UN fossem efetivadas, o 'excesso' de contingente teria que ser minimizado. Com isso, a Petrobras terceirizou a força de trabalho. Reduziu os empregados de 62 mil em 1990 para 32 mil em 2000."
Postar um comentário