sábado, 28 de março de 2009

Petroleiros: Greve vitoriosa arranca proposta com avanços e sem ameaça de punição

A força da greve nacional da categoria e a disposição de continuidade da luta, caso a Petrobrás insistisse na ameaça de punir trabalhadores, fez a empresa retomar o processo de negociação e formalizar na tarde desta sexta-feira, 27, os avanços construídos na mesa única com a FUP e os seis sindicatos. Na proposta apresentada à Federação, a Petrobrás suprimiu a redação referente à criação de uma comissão para apurar o que chama de “excessos” cometidos pelos trabalhadores durante a greve. Além disso, a Gerência de RH da empresa assumiu compromisso na mesa, perante a FUP e os seis sindicatos, de não perseguir nenhum trabalhador por participação na greve. A empresa também se compromete a desistir dos interditos proibitórios movidos contra as organizações sindicais durante estes cinco dias do movimento.
A proposta construída na mesa única de negociação desde o segundo dia da greve tem avanços significativos em relação à PLR 2008, não só no que diz respeito aos valores, como no fato da Petrobrás se comprometer a estender o que foi conquistado para todos os trabalhadores do Sistema, incluindo Refap, TBG e Petroquisa. A greve vitoriosa da categoria também fez a Petrobrás reconhecer o direito dos petroleiros de turno à dobradinha, ao aceitar pagar as horas extras do feriado de primeiro de maio. A proposta construída em mesa também traz avanços importantes em relação às demais reivindicações da categoria: segurança, garantia dos postos de trabalho e regramento das PLRs futuras.
Quanto aos dias parados, a Petrobrás se compromete a descontar, parceladamente, um dia por mês, sem reflexo algum (férias, 13º, descanso semanal remunerado, etc).
Indicativos da FUP
Diante dos avanços conquistados durante estes cinco dias de greve que unificou a categoria em todo o país, a FUP indica aos trabalhadores o encerramento do movimento às 24 horas desta sexta-feira, 27, conforme havia sido deliberado anteriormente pelas assembléias, e a aceitação da proposta construída na mesa única de negociação pela Federação e os seis sindicatos.
fonte: Informe FUP
Postar um comentário