quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Centrais lançam campanha pela redução da jornada


As centrais sindicais lançaram na segunda-feira (21) na sede nacional da CUT uma Campanha Nacional Unificada pela Redução da Jornada sem Redução de Salário e um manifesto em defesa dos investimentos sociais e de uma reforma tributária justa e democrática.
O presidente da CUT, Artur Henrique, destacou a potencialidade da mobilização convocada unitariamente pela CUT, Força, CGTB, CTB, NCST e UGT. “Com maturidade e responsabilidade, as centrais sindicais estão mais uma vez unidas em campanha pela redução da jornada de trabalho. Não vamos aceitar que a perda com a arrecadação da CPMF seja compensada mexendo nos acordos firmados pelo governo com os servidores e com as centrais. Para garantir desenvolvimento sustentável, precisamos reduzir os juros e o superávit primário, taxar as operações financeiras nas Bolsas de Valores e a especulação. Já o bolso do trabalhador tem de ser preservado”, declarou Artur.
Na avaliação do presidente cutista, a mobilização das bases das centrais, somando Confederações, Federações e Sindicatos, é fundamental para pressionar o Congresso Nacional a aprovar temas de interesse da classe trabalhadora, como a ratificação das Convenções 151 – que estabelece o direito dos servidores à negociação coletiva – e 158, que coíbe a dispensa imotivada. Segundo Artur, “diversos setores como o financeiro, a automotivo, a construção civil e o comércio têm obtido ganhos econômicos vigorosos e podem dar a sua contribuição, reduzindo a jornada de trabalho sem reduzir o salário”.
O presidente da Força Sindical, o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), acredita que a decisão de ampliar a campanha para o conjunto dos estados fará com que a reivindicação chegue fortalecida ao Congresso: “Ou os parlamentares aprovam a redução da jornada para 40 horas semanais ou terão que se enfrentar com o movimento sindical em um ano eleitoral”.
O abaixo-assinado das centrais, que já começou a ser coletado, apóia a redução da jornada de trabalho através da aprovação do Projeto de Emenda Constitucional 391/01: “O Brasil vive uma realidade de extremos: por um lado, um número elevado de trabalhadores e trabalhadoras está desempregado, e, por outro, grande parte dos que estão empregados trabalham longas jornadas. A redução da jornada de trabalho sem redução de salário é um importante instrumento para a criação de empregos, distribuição de renda e melhoria da qualidade de vida”.

Manifestações dia 11 de fevereiro
O próximo passo dessa campanha acontece no dia 11 de fevereiro, quando acontece, em diversas partes do país atos públicos para apresentar a toda a sociedade os motes e as bandeiras da campanha. Artur Henrique explicou que o dia foi escolhido em função de ser a data de retomada dos trabalhos no Congresso Nacional. “Queremos aproveitar o primeiro dia de trabalho da Câmara Federal para apresentar nossa proposta”, declarou o presidente da CUT.

Foto: Ricardo Patah (UGT), Antonio Neto (CGTB) Artur Henrique (CUT), Wagner Gomes (CTB), Paulinho (Força) e José Calixto (Nova Central). Foto de Norian Segatto




Postar um comentário