sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Perseguição a professores

A juíza Laura Mattos de Almeida sentenciou o presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), Carlos Ramiro, a pagar para o município de São Paulo R$ 4 milhões por conta de uma passeata dos professores ocorrida em 2005, que pressionou o governo do Estado a retirar um projeto que ameaçava o emprego de 120 mil professores. Essa é mais uma mostra da truculência com que se trata o movimento organizado dos trabalhadores.
Postar um comentário