quinta-feira, 12 de maio de 2016

MINISTRO DA JUSTIÇA DE TEMER É SUSPEITO DE LIGAÇÕES COM O PCC


Alexandre de Moraes:


O advogado Alexandre de Moraes, até ontem secretário de Segurança de São Paulo, alçado a esta condição por Geraldo Alckimin, é o novo ministro da Justiça do Brasil. Detalhe: antes de assumir a Secretaria tucano em São Paulo, Alexandre de Moraes era advogado de defessa em pelo menos 123 processos da cooperativa Transcooper, empresa citada em investigação que apura formação de quadrilha e lavagem de dinheiro para o PCC (Primeiro Comando da Capital). Moraes nega qualquer envolvimento.



A Transcooper teve como cooperado, até 2010,o ex-deputado paulista Luiz Moura, expulso do PT por ser investigado por ligações com o PCC. Na época de sua nomeação para a Secretaria, Alexandre de Moraes emitiu um comunicado à imprensa afirmando que não conhecia Moura e que começou a advogar para a Transcooper a partir de 27 de janeiro de 2011.

Apesar das negativas oficias, há várias informações de que o governo paulista negociou uma trégua (rendição?) com o PCC, em 2006. Confira reportagem do Estadão aqui. 

Assista aqui reportagem produzida pela Band, com suspeitas de ligação de Alexandre de Moraes com o Primeiro Comando.

Repressor de movimentos sociais

Alexandre de Moraes assumiu a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo em dezembro de 2014. Sua passagem como secretário ficou marcada pela violência excessiva diante de protestos e atos políticos, como as ocupações estudantis das escolas estaduais.

Em janeiro, um protesto realizado pelo Movimento Passe Livre foi reprimido de forma violenta, assim como outros protestos durante sua gestão.

Sob sua gestão na secretaria foram utilizados, pela primeira vez, blindados israelenses para enfrentar as manifestações. 

De acordo com dados levantados pela TV Globo, a Polícia Militar foi responsável pela morte de uma em cada quatro pessoas assassinadas em São Paulo em 2015. A maioria negros pobres. 






Postar um comentário